O controlo de fronteiras

O mundo torna-se a ser mais interconectado, pois os pontos de controlo de fronteira estão a ser remodeldos, deixam de ter o significado só estatístico e cooperam com o Governo em tempo real.

Unidades de segurança do Estado, junto com os fornecedores de tecnologia, oferecem procedimentos de verificação dos documentos mais seguros e eficazes, uma vez que a segurança nacional e internacional é importante devido ao número crescente de pessoas a atravessar fronteiras.

Os documentos de viagem eletrónicos (eMRTD) e o controlo automatizado na fronteira ajudam detetar a contrafacção e identificar os viajantes de categoria de alto nível de risco. Essas tecnologias não são usadas apenas para melhorar a segurança, mas também para maximizar a conveniência e reduzir o tempo de triagem nas passagens de fronteira.

Document Screening System (DSS) — é um sistema de informação moderno, que serve para a verificação extensa dos documentos de viagem, incluindo os passaportes, emitidos no estrangeiro, passaportes diplomáticos, cartões de imigrante, documentos de viagem eletrónicos, cartões de identificação de refugiados, etc. Existem as regras específicas para a verificação. Verificam-se os dados pessoais ao passar um documento pela luz visível ultravioleta e infravermelha.

O DSS coopera com os bancos de dados externos para verificação adicional. Por exemplo, consegue se verificar a inserção dum documento no banco de documentos perdidos e achados, ou verificar, se a pessoa está na lista de pessoas condenadas etc.

A solução consiste em vários módulos:

  • Identificação de cidadão. Soluções de software para identificação e verificação de viajantes.
  • PKI. Soluções de software para o controlo dos documentos com base na troca de certificados digitais.
  • Controlo de fronteira. Soluções de software para os equipamentos, usados em postos de fronteira (verificação biométrica, verificação no ato de registo de dados, armazenamento de dados para uso futuro).